quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Até a última gota

Neste Natal, desejo a todas as bonitonas: Vivam um amor, até a última gota...

Não importa se é um amor remédio, desses amargos, que vem num copinho de 5ml e que a gente tem que tomar tudo, pra perceber depois, que mesmo não sendo muito bom, fez um bem danado.

Não importa se é um amor champanhe, desses que faz um barulhão danado quando começa, que deixa a gente inebriada, mas que depois deixa uma dorzinha chata de cabeça e uma dose embutida de remorso (e, às vezs, de amnésia).

Não importa se é um amor Gatorade, que repõe os sais minerais que a gente perdeu pelo caminho, mas que é um pouco sem gosto, sem graça.

Não importa se é um amor refrigerante (normal, sem ser light): doce, engorda, dá celulite, você está cansada de saber que não devia tomar, mas tem um gosto irresistível de proibido.

Não importa se é um amor vitamina de abacate, que pode até ser saudável, mas é cheio de gordura (da boa, pelo menos), tem cara feia, mas é uma delícia de viver...

Não importa se é um amor perfume, que estimula os sentidos, mas que não pode ser provado, não pode ser bebido...uma amor que só suscita, que só ativa a imaginação, mas que é gostoso assim mesmo, só na sugestão do que poderia ser...

Não importa se é um amor vinho de galão, docinho, gostosinho, baratinho e farto, mas que dá uma dor de cabeça nunca sequer imaginada.

Não importa se é um amor Toddynho, com cara de dia-a-dia, de infância, de inocência.

Não importa.

Eu já disse que os problemas são líquidos. Agora estou dizendo que o amor também é. Um problema. E líquido.

Liquidando o assunto, fica minha verdade: tem que ser até a última gota.

Viva intensamente, qualquer amor. E se sentir que não chegou ao fim, volte, desvolte. E se quiser fazer sua grande cena, uma vez na vida, faça. E se quiser gritar na janela, grite; fazer serenata, faça; comprar sonho de valsa pra guardar o papel, compre;  tiver vontade de ligar bebada no meio do show de música sertaneja, ligue; se achar que tem que voltar, mesmo que todo mundo discorde, volte. E termine de novo e volte de novo se for necessário.

Não precisa que o outro esteja em sintonia (ainda que seja melhor que esteja). O importante é que você ame, de verdade, uma vez na vida (pelo menos). Uma experiência necessária.

Prometa (a você mesma) viver com intensidade cada um dos amores que aparecer no seu caminho, mesmo que eles não tenham sido feitos pra virar casamento. Amor líquido, embora não pareça, evapora, ou congela...e deixa de ser amor. Porque amor inunda. Necessariamente.

Com ou sem gelo, até a última gota: é o mínimo que um amor merece.

15 comentários:

Ana disse...

Amei, amei, amei!
Tô com saudades!!

Alice Mânica disse...

Laura, que saudade!!! Ainda bem que vc voltou em grande estilo! Adorei a nova cara do blog, amei sua foto nova e, principalmente, amei esta postagem!!!

Te desejo muito sucesso na vida nova (que significativo vcs chegarem lá bem na virada do ano, hein?!) e vou ficar daqui de Brasília acompanhando as novidades e torcendo por vocês!!! Beijos!

Catiluva disse...

Eu já te disse que sou muito tua fã? Que adoro tudo o que escreves? Nunca é demais dizer.
Este ano que passou eu já vivi o meu amor vinho de galão e chegou para os próximos anos...se vier um novo, que seja bem-vindo, mas eu não vou procurar...

Julia Kreischer disse...

Laura,
eu nunca escrevi aqui apesar de acompanhar a bastante tempo...
Este texto para que foi escrito por mim ou para mim, por ter haver com um momento que vivo e o que tento explicar as pessoas... Muito bom saber que alguém pensa/sente igual a mim.
Obrigada pelo prazer de ler o que vc escreve e não deixe de escrever.
Boa viagem. Bom ano novo. Boa vida nova!!!

Bjs

Raquel disse...

Ameeeii demais o post! *-*

Anônimo disse...

gaaaaaaaaaaaaaata,
q bom q vc voltou com esses posts magicos!!! eba!
um beijo,
flavinha

Izabella Pimenta disse...

Laura, tenho te acompanhado sempre e amooo! Tomei a liberdade de postar seu presente de Natal pra nós no meu orkut. Com os devidos créditos, é claro... inclusive com o end. do Blog!!
Até a última gota!!!
Beijos
Izabella Pimenta

Camila Borges disse...

Laura,

amei! É tudo que espero e desejo a todas as bonitonas encalhadas... beijinhos

Tia Raquel disse...

Já estou morrendo de saudades. Olho cheio d'água...

Katherine disse...

Ai Laura, adoooro ler teu blog! Lindo o q escreveste, é realmente o MÍNIMO que um amor merece, realmente inspira, um beijão! E boa sorte na Escócia!

Camila Viégas disse...

Laura!! Vc vai pra Escócia! Sabe, eu já estava bem chateada com vc (amiga tem dessas coisas! hahaha) pelo abandono do blog... todo dia eu entrava pra ver se tinha post novo!
Mas agora... que surpresa! Está mais que perdoada! Te desejo mta sorte nessa "nova vida", que tudo dê certo pra vcs dois! E continue dando notícias, viu?
Saudades! Beijo =**

Valerie disse...

Lauraa! Adorei este texto você está de parabéns.
Até indiquei para uma amiga.

Desejo à todas as Bonitonas Encalhadas ou Não que a felicidade do Natal irradie maravilhosas energias por todo Ano Novo!

Cidinha Fontes disse...

Olha, eu não sou de entrar em blogs mas você arrasou com este texto !!!! Parabéns !!!
Feliz Natal !!!

Paula Valias disse...

Laura, eu sou MUITO sua fã!

Mulherzinha Sim! disse...

Olá, vim parar aqui por acaso.

Adorei esses tipos de amores!


Bjos