quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Uma volta de 360 graus

Por muito tempo acreditei que uma volta de 360 graus era uma das maiores burrices que alguém podia falar. Afinal, é uma volta que sai de um lugar e volta pro mesmo ponto, né? Mas, ontem, fiquei pensando um monte nessas voltas que a vida dá, e achei que não era tanta burrice assim, porque, muitas vezes, o que acontece no meio da volta, durante o percurso, faz TODA a diferença.

É o caso clássico de alguém que termina o namoro, sai, paquera, badala, se joga, e, de repente, quando assusta, está ali, cara a cara com o ex, pensando se quer namorar com aquele moço (de novo).

É o caso de alguém que sai de um emprego, tenta outros, e, quando assusta, está recebendo uma nova proposta do antigo patrão.

É o caso de alguém que se forma na faculdade, desiste da profissão que escolheu, e lá vai encontrar com o vestibular de novo.

E ai, nessas voltas INTEIRAS, a gente pode achar tudo, menos que nada mudou. A gente pode achar qualquer coisa, mas não pode achar que estamos no mesmo lugar de antes. Porque, dando uma voltinha de 360 graus, é muita coisa que muda na vida da gente, que muda dentro da gente, e fora da gente também.

Quando a vida  dá uma volta de 360 graus, a pessoa que saiu do ponto é uma pessoa completamente diferente da que volta ainda que os pontos - de partida e de chegada - sejam o mesmo.

Por isso, desde que tenha o tempo de respirar fundo e dar a volta, eu acredito em segundas chances. Em alguns casos, até em terceiras. Por que o mundo dá voltas. E a gente também.


6 comentários:

Ana disse...

Amei!

Saudades de vc!

BIC disse...

Oi bonitona,

Realmente depois de uma volta inteira ninguem eé o mesmo. Eu acabei de dar uma volta dessas, e percebi que sou outra pessoa, completamente diferente. E isso faz uma diferença danada!! Adorei seu espaço, voltarei sempre que puder! Bjs

Raquel disse...

Verdade!!

Amei a nova carinha do blog

beijocas

Cíntia Mara disse...

Eu nunca tinha pensado nisso, mas faz muito sentido, Laura.

Lembrei das leis de conservação da energia da física (coisas de pessoas de exatas, rs)... A energia é conservada (ou seja, o corpo é o mesmo) quando se faz um percurso desses, mas apenas quando não há forças exteriores. Mas na vida nunca estamos isolados. Pra uma pessoa que não interage com o mundo, não ouve outras opiniões, não considera as opções, não sente, a volta de 360º pode, sim, ser uma bobagem. Mas pra quem se permite viver de verdade, atento aos seus próprios sentimentos e ao que acontece ao redor, mesmo andar em círculos é uma experiência que traz alguma mudança.

Mudando de assunto, pedi seu livro pela Saraiva e chegou em casa esta semana. Como a fila está gigante, devo demorar um pouquinho pra ler, mas gostei só de ler as abas, rsrs. Minha mãe e minhas irmãs acharam graça do título.

Bjos

Laura disse...

Adorei Laura! Seus textos me animam!
Grande beijo!

Lorena disse...

Nem sabe o quanto está sendo bom ler seus posts... Um dia ruim, sem photoshop de vida, mas q encontrou um alívio bom nessas linhas todas...