quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Os bananas e os babacas

Eu só queria resumir o seguinte: em geral, os caras pelos quais sofremos, os indecifráveis, os perturbadores, podem facilmente ser enquadrados em duas categorias. Ou o cara é um banana ou o cara é um babaca. 

Difícil lidar com essa constatação quando banana é uma fruta tão bacana, que quase todo mundo ama, e que, nos dias atuais, é tão prática (não precisa de talher pra comer, não deixa cheiro nas mãos durante ou após o consumo, não deixa fiapos nos dentes, não meleca a boca e - melhor de tudo - já vem em embalagem própria e biodegradável).

Então, eu acho assim: se o cara te ama (e é recíproco, né?), mas não está com você, ele é um banana. Isso inclui:

a) O cara que me te loucamente e nunca teve coragem de sequer entender que aquilo era amor, simplesmente porque ele não consegue se expressar: Banana.
b) O cara que é seu ex e que todo mundo sabe que (complete com o que vc quiser, mas que, em resumo, ainda está na sua), mas que está num outro relacionamento muito mais estável e, bem, não acha que deveria terminar pra tentar mais uma vez ser feliz de verdade: Banana.
c) O cara que amou uma vez, se estrepou por completo, e agora não quer se envolver de novo: Banana.
d) O cara que não sabe o que quer da vida e fica te cozinhando até decidir: Banana. 
e) O cara que terminou porque é novo e acredita que tem que dar uma galinhada antes de amar alguém, mesmo já te amando: Banana.

Então, fica sempre o Sr. Banana com todos os medos: de terminar um namoro que já não dá certo; de assumir pros outros que ainda está com você na cabeça - mesmo tendo tomado um pé na bunda; de assumir que sabe que você usa óculos, tem celulite, é meio desleixada com as unhas e cabelos e vê todas as novelas, de todas as emissoras, mas é a mulher mais perfeita pra ele... 

Fica o banana lá, verde, vivendo a vida que ele acha mais certa, mais adequada, bonita pros outros verem e você, aqui, sabendo quem ele é de verdade, que, na verdade, ele é muito mais do que aparenta ser, sente muito mais do que aparenta sentir, pode muito mais do que acredita poder. Acontece que não adianta nada você intuir o recheio do tal banana, quando o que todo mundo vê é a casca. Porque você depende dele tirar a casca. E, quando ele tira, geralmente outra bonitona escorrega nela, por ter - com os motivos dela - acreditado que a casca era o recheio... 

Eu perdi as contas de quantos amores não vivi porque o outro não estava disposto a amar. Eu perdi as contas de quantas vezes pisei em cascas no meio da rua, e levei tombos que não vou esquecer. Perdi as contas de quantos telefonemas atendi, de quantas amigas ouvi, de quantos casos analisei, e que poderiam ser resumidos nesta síndrome: a síndrome da Bananice. A síndrome do cara que te quer - muito, mas não tem coragem de tomar as decisões que vão fazer com que vocês dêem certo. Pra simplificar: o cara que te ama, mas não fala (não age, não realiza) é um banana. 

E o cara que fala que te ama, mas não te ama? Esse também é banana? Não, bonitona. Esse ai é babaca.





13 comentários:

Barbara disse...

Volta triunfal ao Blog!
Oba!
Espero que venham mais posts por aí...
Sobre o tema: entre bananas e babacas, todas temos nossas histórias né?
Gostei do vídeo!!

Rita Tavares disse...

Minha querida Laura,
q delicia de post, e ja identifiquei muita coisa do passado. Muito bom!
Melhor ainda, foi ler seu livro as 2 da manha, no aeroporto de Manaus, esperando a minha conexao para Brasilia, depois de viajar 07 horas ao lado de um "peidao" na primeira classe. E confesso, mesmo o cansaco no aeroporto por 4 horas seguidas, nao me tirou o prazer de ler seu livro e morrer de rir sozinha no aeroporto.... muito bom mesmo, e obrigada mais ainda por ter mandado em tempo.
Ja recomendei a todas as amigas,
Beijos e seja muito feliz, queremos a Bonitona Encalhada 2 em breve.

Ana disse...

Amei!!!
Tava com saudades!!

Taís Vianna disse...

Que bom que vc voltou a escrever!!
E poxa, bem o que eu precisava ler.
Há quase 3 anos vivo às voltas com meu ex banana que namora outra menina mas não me deixa em paz.
Quem aguenta?
Enfim, é bom saber que não sou a única nessa (pq a gente sempre acha que só acontece conosco) e pensar que posso passar por isso e encontrar um cara legal.
Não nos abandone de novo :)

Beijos

Menina-Flor disse...

A-M-EI.... KKKKKKKKKKKK muito bom este post.. e muito verdadeiro... concordo plenamente em número, gênero e grau!!!! Acertou, porque no final das contas, é bem assim mesmo! bjos

Quel disse...

FANTÁSTICO!!!!
Muito bom! Descreveu direitinho os caras (e os tombos) que a gente vê ( e leva) por aí.

Ellen disse...

esta é a bonitona que conheco e gosto....ÓTEMO texto!!! perfeito....adorei....as vezes precisamos de um tempo pra colocar os pensamentos em ordem e isto é natural acontece para todas nós...nao se preocupe quem gosta de vc e curte o que vc escreve nunca vai apagar o blog dos favoritos e sempre (dia sim/dia naio) fica esperando vc voltar só para ler textos como este...beijokas apertadas...

Dani disse...

Lauraaaaaaa
adorei sua volta, senti sua falta, adorei seu novo post!!!
tava com saudades das suas sinceridades q as vezes não enxergamos!!bju

Pétala disse...

Aeee, Laurinhaaaa, arrasou nesse post! Como sempre, deixando as bonitonas cem por cento sorridentes! Esse post foi maravilhoso, acabo de me lembrar de uns bananas na minha vida, kkkk!

Beijos e pétalas.

E por ai vou... disse...

Nosssa... quanta verdade reunida! kakakak!
Bjos

Fafá disse...

Esse post e simplesmente sensacional. Amei! E me identifiquei. Rs... Bjao, Fa.

Cíntia Mara disse...

Laura, eu fico boba de ver como você consegue definir as coisas tão bem, rs.

Sabe que se eu tiver que escolher, prefiro os babacas. Ai, homem banana não dá mesmo, melhor esquecer de uma vez.

Beijos

Juliana :) disse...

Que ÓTIMO que voltou ! ameeeeei muuuuito :)