terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Sacudidas na praia

Alô, você!

Bonitona encalhada escrevendo diretamente da praia, onde a conexão com a internet não conecta e, quando o faz, cai de 5 em 5 segundos!
O computador disponível está instalado num cantinho de uma salinha super escondidinha, e parece uma sauninha (e não uma salinha). Computador na sauna, eu aqui, escrevendo só pra narrar meu desespero.
Então, vai ser um mini-post hoje, só pra contar que, em 2009, o mar náo está pra peixe (nem pra sereia - que eu queria ser, nem pra baleia - que não é peixe, é mamífero e está mais adequada a minha situacão corpórea atual). O que eu já tomei de caldo marítimo não está no gibi. Já comi areia, já perdi a parte de cima do bíquini, já ralei toda no fundo do mar e chacoalhei a ponto de perder o senso de direção. Mesmo assim, insisto no mar. E sigo acreditando que que os caldos e as sacudidonas fazem parte da vida.
Falando em sacudidas, preciso confessar, desde que mudaram a língua (e minha graduação em Letras encontra-se seriamente prejudicada), estou com medo de escrever qualquer coisa aqui no blog. Eu sei, teremos um ano de transição, por enquanto as duas regras são válidas, mas é que eu sou contra escrever erradamente em qualquer situação.
Acho que, para mim, cujos sonhos traduzem-se sempre em palavras escritas, isso é uma sacudidona das bravas: rever meus conceitos e saberes, sair da zona de conforto e reaprender a escrever. Eu, que sempre pensei por escrito, automaticamente, precisarei pensar para escrever. E, assim como dirigir, escrever é uma coisa que a gente só sabe de verdade quando consegue fazer um texto sem parar a cada minuto, pensando " se é com s ou com z", ou " se acelero ou passo marcha"...
Portanto, congelada de medo e derretendo de calor, estou a espera dos novos tempos gramaticais. Hibernei nos meus escritos até que eu tenha certeza de que essa mudança será consumada.
Em termos práticos: estou comendo, dormindo, tomando sol e esperando ver se a Donatella vai matar a Flora. Ou vice-versa. Meus pensamentos estão limitados a esses.
Estou aqui, a espera da inspiração que me faça correr o risco de escrever nessa língua nova.

5 comentários:

Catiluva disse...

Oi Laura!!!!! Saudações super calorosas! Que saudades! E que bom abrir o blog e ter um post novo!
Olha, mesmo com todos esses "imprevistos" eu adoraria estar na praia, estou a precisar urgentemente de férias...mas como só vou ter daqui a um ano, resta-me sonhar com elas!
E eu também estou à espera, não de saber se a Donatela mata a Flora, mas o contrário! Detesto a Flora, mas a Donatela ninguém merece...:P:P:P
Bjos

Anônimo disse...

Ei, bonitona, o seu amigo anônimo também está indo para a praia, também na Bahia, só que, bem menos badalada, mas, mesmo assim, SUPER GOSTOSA (com hífem ou sem)? Oh! dúvida cruel! Aproveite bastante!
Beijim, beijim, tchau, tchau.

Anônimo disse...

Não resisti e voltei para dizer que, muito mais emocionante do que saber quem mata quem (Flora ou Donatela) foi ver a morte de Zé Leôncio e o desespero da Filó (tadinha). Isso é que é novela. O resto é só baboseira"
Mais beijos!

Renatinha Rodrigues disse...

http://www.manualdocafajeste.com/
Boa pesquisa pra próximos posts!
Beijo!

Ana Guimarães disse...

Já voltou? Saudades...

http://nomeiodemim.blogspot.com/