sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Permissões

Eu dou às pessoas o direito de discordar do que eu penso. Do que eu falo. Do que eu escrevo.


Podem discordar até do que eu sinto (por mais sem sentido que seja discordar do sentir dos outros, que não pede opinião pra ninguém).



Eu dou às pessoas o direito de me criticarem, deixo os comentários sem moderação. Podem me xingar, me chamar de feia, achar que sou pretensiosa ao me intitular bonitona. Tudo isso, como diria a nutricionista do Zorra Total, tudo isso poooode.



Qualquer um pode achar que eu sou doida, pirada, maluca, ansiosa, extremista, agitada. Podem achar que sou brava, que pressiono, que exponho demais.



A única coisa que eu não deixo é rir dos meus sonhos. Isso não dá. Rir comigo é diferente de rir de mim. Debochar do que eu desejo e das minhas tentativa de concretizar. Sabe, os sonhos não vem em formulários de múltipla escolha. Cada um sonha o que quiser, se você queria ser cantora e é farmacêutica, se queria ser atriz e é advogada, se queria ser jogadora de futebol e é médica, que mal tem? Qual o problema de você sonhar? Atrapalha alguém? Te faz pior?
Todo mundo acha tranquilo falar "cada um com seus problemas"e eu só peço que seja tranquilo cada um com seus sonhos também.
A culpa pode até ser minha. Sempre preferi rir de mim mesma, sabendo que de nada adiantaria chorar demais. Sempre expus as coisas do jeito mais leve, pra não inundar as vidas das pessoas que me cercam com meus problemas, e me tornar, eu mesma, um problema pros outros.
Quando alguém ri de mim, na minha frente, como se eu fosse uma piada muito engraçada, eu choro. Por que percebo que errei a mão e fiz tudo leve, mesmo as coisas que não são tranquilas pra mim. Permiti que os outros rissem do que me incomoda. Vejo que não estou sendo levada a sério. Não estou sendo entendida, sequer cogitada.
Acontece de as pessoas acharem que eu estou o tempo todo brincando, mas o meu bom humor só ameniza o que dói de verdade. Chorar não resolve. Mas rir de mim, também não ajuda em nada.

5 comentários:

Patrícia Lemos disse...

Olá, adorei teu blog e já add na lista de favoritos.

Bjos!

daniela disse...

Você consegue falar tão bem de umas coisas tão complicadas... Eu sinto exatamente a mesma coisa... bjos

Anônimo disse...

Laura H,
Nao te conheço,nunca entrei no teu blog antes, só li este post... pouco importa como te pareces, sem dúvida és linda. Pela força e coragem em se expor. Tirar a máscara, revelar o consciente e o nem tanto. Rir de si mesma e chorar.
A beleza do seu olhar... Não te intimida com o olhar dos outros... eles só estão sendo eles mesmos e tudo bem.
Beijo.

Laura H disse...

Olá! Muito obrigada, seja sempre bem-vinda ao blog! Não sei se sou linda, mas tento ser sincera e coerente comigo mesma. Sempre. Beijocas

Ellpo disse...

Quando li no relatório da sua professora do jardim de infancia que vc nao sabia se defender...me reconheci...tb nunca soube me defender e hoje mesmo com 37 anos ainda luto para conseguir (em outro idioma entao...quase impossível...mas estamos ai para aprender a cada dia que passa....A-D-O-R-O SEU BLOG...eu fiz um blog fechado para o meu casamento, preparativos e ansiedades...e com sua permissao coloco muitas coisas do seu (sempre colocando a fonte claro...)
Admiro sua forca e sensibilidade...e a maneira leve e objetiva q vc usa para falar de coisas tao intensas que vao dentro de todos (ou quase todos) nós...
beijokas e continue assim...eu estarei aqui sempre acompanhando e esperado seus posts...
Ellen

PS (desculpa meu lapop alemao nao tem nossos acentos..)