sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Tecnologias atrasadas

Agora que voltei à minha personalidade original, a vida parece voltar a fluir mais leve. Admito que andei um pouco psicopata, mas quem não tem seus dias de surto?
Falando em surto, tive chá de panela semana passada e pre-ci-so desabafar.
Concordo que tecnologias são ótimas, deixam tudo mais profissional e glamouroso, mas não tenho
palavras para descrever o quanto minha TPM foi elevada à décima nona potência quando o vídeo que gravamos, com todo amor, carinho e cuidado, simplesmente não passou no telão, porque não tinha o cabo certo.
Olha, eu não sou uma especialista em assuntos informáticos - só domino com certa habilidade os três controles da sala de TV: televisor, dvd e tv a cabo, ao contrário da minha mãe que toda vez que quer ver um vídeo pega os três e começa a gritar socorro.
Na verdade, minha mãe é um perigo, porque quando ela cisma de se resolver sozinha com qualquer tecnologia, quase desprogramou a televisão inteira. Sabe aquelas pessoas que não sabem que botão apertaram e começam a apertar todos os outros, até que a imagem da TV vira aqueles chuviscos barulhentos? Justamente.
Fato é que o filminho estava na memória da câmera, e o noivo entregou uma caixa (juro, uma caixa grande) com uns 10 cabos, dizendo que o cabo certo estava lá. Como o dia estav muito corrido, muito calor, e eu tinha que encher, pessoalmente (Deus abençõe o inventor da bombinha) 200 balões, e coordenar todo o restante, me descuidei desse detalhe.
Assumo minha parcela de culpa, que calculo em 10%. Porém, os 90% restantes eu divido entre o noivo (afinal, se os homens tivessem somente uma utilidade, ela seria ajjudar nos assuntos domésticos, veiculares e tecnológicos) e a fabricante da câmera.
Custa todas as fabricantes se reunirem e combinar: todos os cabinhos vão ter o mesmo furinho na entrada e na saída. Pensem comigo, bonitonas, imaginem se cada tomada tivesse um formato diferente? Imaginem se cada televisor tivesse um cabo de entrada específico do aparelho? Não.
Os fabricantes de televisores e de tomadas tem o bom senso (ou alguma imposição do Inmetro, talvez) de fazer uma coisa padronizada, bonitinha e, sobretudo, prática.
Já os fabricantes de celulares (e agora, descobri também, de câmeras)... me revolta estar sem bateria, num recinto com mais de 10 pessoas, e cada uma ter um tipo diferente de carregador (obviamente, NENHUM compatível com o meu modelo). O mesmo vale pra filmadora: mais de 10 cabos e nenhum apto a enfiar no buraquinho da máquina. É uma afronta!
Esses povo devia se inspirar em Deus que, dando pequenos ajustes na anatomia pessoal de cada um, fez seus casais mais ou menos adequados: todos os machos de uma espécie servem para todas as fêmeas da mesma espécie. O exemplo divino é tão lógico. Era só pegar e adaptar: todos buraquinhos da espécie filmadora (de qualquer marca, cor, religião ou raça) deveria poder receber todos os pininhos da espécie cabos para televisor. Tão simples!!!
Agora, vocês tem que imaginar a minha situação: a pessoa de TPM, inchada, acorda as oito da manhã, vai ao centro comprar balão e coisas decorativas, vai na savassi buscar copos que alugou, vai ao supermercado, acha as coisas caras, vai ao segundo supermercado, descobre que o primeiro era mais barato, volta ao primeiro supermercado, compra algumas coisas, tem a idéia de ir ao sacolão, chega lá, descobre que está tudo no mesmo preço do primeiro supermercado, compra o resto das coisas no sacolão mesmo, sem almoçar, passa na lanchonete em que encomendou os salgadinhos, acha que os salgadinhos encomendados não vão dar, chega no local da festa, arruma as mesas, arruma as bebidas, enche balão, organiza as comidas, enche balão, assiste o vídeo fofo na filmadora enquanto enche mais balões, surta quando vê as convidadas chegando e ela ainda está enchendo os últimos balões, corre, toma um banho rápido, vai pegar o cabo da filmadora, descobre (depois de testar um a um) que nenhum dos 20 cabos de filmadora que estavam na caixa servem para a filmadora em questão,pede pra mãe da noiva encomendar mais salgadinhos, tenta baixar o vídeo no notebook, para gravar um dvd, descobre que o notebook não reconhece a filmadora sem um programa específico (e misterioso), o chá rolando lá embaixo, a bonitona, desesperada, pega o carro, pega a irmã da noiva, vai até a casa da noiva, onde o computador reconhece a meleca da câmera, chega na casa da noiva e...a bateria da filmadora acaba, o carregador da filmadora ficou na casa onde está se realizando o chá, ainda de TPM (TPM, vocês sabem, não passa), vai para o chá e decide fazer as perguntas do velho jeito: lendo.
E, se querem saber, foi lindo do mesmo jeito.

5 comentários:

Ana Guimarães disse...

Eu amo você bem desse jeitinho. E amo rir com você. E amo seu jeito leve de fazer doces os momentos mais difíceis. Preciso do seu colo, sim, obrigada. E quando você precisar, pode usar o meu também.

renata disse...

Bom, lendo este post vi que vc fez um video para sua amiga e eu tb estou fazendo um para uma amig. vc poderia me dar sugestoes, pensei em escrever uma mensagem bonita sobre casamento ou uma msg falando o q nós, amigas da noiva, desejamos a ela. please, me responda em breve pq o video está praticamente pronto, só falta introduzir a mensagem e o chá de panela é nesse domingo 12/02.

Laura H disse...

Então Rê, o vídeo que eu fiz para uma amiga minha está no youtube. é só vc pesquisar "cacachaçada", que aparece. Eu dei esse nome porque a noiva era Cacá, quis fazer uma brincadeira. Como vc vai ver, tem duas partes, uma mais alegre e uma mais "reflexiva"...espero que vc goste! Mas te recomendo escrever com o coração mesmo...não tem mtas regras...Comece chamando-a pelo apelido carinhoso que vcs usam...Bjo.

Renata disse...

Laura,
vi o video, muito bom, mas segui sua sugestão escrevi com o coração, tá ficando liiindo.
Outro pedido (sem querer abusar), mas já q vc está expert, em casamentos, chás de panela e afins,acho q vc vai poder me ajudar. Vc acha q existe a necessidade de fazer aquelas brincadeiras, pagar aquelas prendas (a maioria acho tão sem graça e algumas até constrangedoras)
O que vc me sugere?
Muita obrigada pela ajuda e pela atençao, não conhecia seu blog e achei simplesmente sensacional, como vc disse em um post, tb tenho alguns vícios, um deles tb é ler, e seu blog já virou um vício.
Bjo

Laura H disse...

EEEEEEEE, que bom que você gostou! Então, das brincadeiras, eu não gosto de nada sexual. Nada mesmo, acho embaraçoso. Mas tenho duas sugestões que eu gosto bastante: uma é o tradicional vídeo com perguntas e respostas com o namorado, com o depoimento dele no final. Não precisa perguntar nada constrangedor, mas umas coisas, quando ele fala que ama, e tal, é sempre fofo. Outra opção, se o chá for menor, é sentarem as pessoas num círculo, e cada uma ter que falar sobre o que mais gosta na noiva, contar um caso engraçado e dar os presentes. E tem sempre que dar uns presentes nada a ver no meio, umas plumas, véu de fantasia, batom beeem rosa...adoro por músicas da infância, mandar todo mundo se jogar! QQ coisa, me manda no email. Bjos