quinta-feira, 12 de março de 2009

30 anos

Ontem meus "sogros" fizeram trinta anos de casados. Ano que vem será a vez dos meus pais.
Eu, que não tenho trinta anos nem de vida, não consigo imaginar o que seja isso.
Mas, quando olho para tudo o que eles são hoje, como pessoas e como casal, vou entendendo um pouco, e entrevendo um pouco da simbiose necessária para o tal felizes para sempre.
De uns tempos pra cá, dei pra acreditar que a gente acorda todo dia diferente.
Que a gente melhora e piora aos poucos. Que quase não percebe. Porém, quando nos comparamos em períodos maiores (a bonitona que sou hoje, com a que era seis meses ou um ano atrás) conseguimos ver com mais clareza as diferenças. A gente se transforma muito, aos poucos.
Seguindo essa mesma linha de raciocínio, o maior desafio de qualquer relacionamento amoroso é (ou talvez seja, como eu acho) a gente conseguir se encantar - cotidianamente - pela pessoa nova (renovada) que está a nosso lado. Todos os dias, dia a dia. Perceber a sutileza das mudanças, constatar as nuances de humores e, ainda assim, amar e, sobretudo, respeitar.
Por isso, acho sensacional pessoas que se amam por tanto tempo e apesar do tempo. Sou fã.
Com vocês, Patrícia e José Artur:

PS: é um desaforo de linda, a minha sogra, até hoje. Qualquer dia desses eu falo mais dela. Bjos.

7 comentários:

Ana Guimarães disse...

Como diria meu pai, vontade não basta. Tem que haver boa vontade!

Renata Rodrigues disse...

Desaforo pra sua sogra é pouco, né? Mais linda, impossível!
Beijo!

Bel disse...

É impressão minha ou a sua sogra se parece muito com vc. Ou vice-versa, né? Rs. Bjos

Caroline® disse...

Nossa, sua sogra era uma gata! Bons genes pra vc aproveitar...

Caroline disse...

Lindérrima sua sogra!!!!!

Vc falou e disse, temos que apaixonar todos os dias por quem está do nosso lado...e isso é tão difícil!! Admiro quem consegue manter tanto tempo de casamento!!

Parabéns a eles!!

Bjks

Larinha disse...

Sou da turma que se encanta, também, bonitona!

Meus pais já passaram das bodas de ouro e é incrível como inspira olhar para um amor que resiste a tanto tempo, ainda com o carinho e respeito de sempre-desde-que-eu-me-recordo (tá... com alguns relampagos no meio do caminho também heheheheh). E eu fico pensando que quero isso pra mim. Que não sejam 50 ou 30, mas que seja sempre rodeado de magia, de apaixonar diariamente ao mesmo tempo com o respeito pelo "para sempre não é todo dia".

É dureza. Estou apenas no dois e busco sempre renovar. Uma dica que descobri sozinha. Escrevo tudo, desde o primeiro dia. Fiz uma lista de motivos pelos quais sou apaixonada por ele. Vale de um tudo. Um olhar em determinado momento, uma surpresa fora de hora, um elogio, um beijo que marcou, uma gentileza, um telefonema ou um grande ato ou presente. Quando ouso pensar (porque mulher pensa demais, né?) que não vai durar ou algo assim, principalmente na tpm, releio a lista inteira (já estou pra lá dos 600 motivos). E aí, me apaixono novamente, de novo, de um jeito novo.
Vale à pena.

Bom final de semana, bela!

Giulia disse...

Sou a blogueira do Araguari e me encantei com seu poeminha sobre o encontrinho. Adorei eu jeito de escrever e de brincar. Acabo de também fazer 30 aninhos... de casório e acho que vale muito a pena esperar para acertar nessa empreitada que é a vida a dois. Só assim a gente vira uma sogrinha adorada, rsrs.