domingo, 21 de setembro de 2008

A teoria do encalhamento


Atendendo a pedidos (e provocações), até que enfim, a minha teoria do encalhamento.

Preciso dizer uma coisa a vocês.

Para mim, estar encalhada é um problema de estado. Estado civil, no caso.

Pronto, falei. E é isso mesmo.

Minha teoria, científica, embasa-se sobretudo no fato de que formulário NENHUM DO MUNDO tem a opção "namorando", "enrolando", "ficando", "morando junto", nada disso. Nem "noiva com data marcada". OU você é solteira OU você é casada, e ninguém escolhe a opção "casada" se não foi ao cartório e fez o devido registro, porque, por mais que você se sinta casada e tudo mais, casar, para a sociedade conservadora em geral, é só no papel mesmo.

Preciso desmistificar também a questão do encalhamento ser um problema. Não é. Aliás, não é necessariamente, mas pode ser em alguns casos.

É que, assim como as gordinhas podem ser felizes ou infelizes, as loiras podem ser burras ou inteligentes, os carecas podem ser de quem elas gostam mais ou de quem elas gostam menos, os de óculos podem ser de nerds ou de Clarks Kents, há encalhadas e encalhadas e muitas delas são encalhadas voluntárias, totalmente bem-resolvidas com isso e, outras, estão ai, sofrendo horrores por ainda não terem um marido pra chamar de seu.

Agora, alguém tem coragem de dizer que aquela pessoa que namora há 822 anos e que encontra-se nas mãos de um bonitão enrolador é desencalhada? Aquela que já ouviu mais de 1252 vezes o caso de alguém que namorou também 822 anos, terminou e casou em menos de 6 meses, com um olhar de compreensão, pensando, no fundo: onde você quer chegar com essa historinha, é desencalhada?

Aquela que está com um enxoval completamente desatualizado, porque compra (e ganha de parentes) peças há mais de 5 anos, aquela que não passa imune a um lançamento de buquê, que é sempre, sempre, sempre, chamada nominalmente pela noiva, é desencalhada pra você? Aquela que um namorado acomodado que, quando alguém da família pergunta:

- E o noivado, fulano?

Tem a resposta infame:

- Ah, deve ser depois de julho...

E o complemento:

- Quer dizer, Júlio, meu primo de 5 anos.

E que, não satisfeito, diz que quem gosta de pedido é telefonista de pizzaria; que casamento é que nem piscina gelada, um pula e fica chamando os outros pra todo mundo se dar mal; que se fosse bom não precisava de testemunha; que casar é que como doença, porque as pessoas "contraem" matrimônio...

Se você tem um espécime raro de sensibilidade masculina como esse ao seu lado, isso lá pode ser considerado desencalhamento?

Amigas, esse negócio de eternos namorados só é bom DEPOIS de casar. Ninguém quer um namorado eterno não. E nisso, posso falar de cadeira: namorei 7 anos (dos 14 aos 21) e agora estou indo pro 5º de um namoro novo (acho que o atual quer superar o ex, eu mereço!). Blogueiro, blogueiro meu, existe alguém mais encalhada do que eu?

Não precisa responder. Espero mesmo que haja outras encalhadas por ai, mas queria explicar isso: entendo o encalhe como um conceito bem abrangente. E tem ficante bonitona encalhada muito mais feliz que bonitonas encalhadas num relacionamento.

Encalhar, pessoas, para mim, é ficar parada no tempo, enquanto as coisas a nossa volta evoluem. Todo mundo casa, menos você. Todo mundo namora, menos você. Todo mundo cresce profissionalmente, menos você...

Quando uma baleia (sem trocadilhos) encalha na praia ou um navio encalha nas pedras, quem encalha é porque parou te ter novidades na vida, e está lá, querendo dar um novo passo, conhecer uma nova rota e não consegue.

Por isso, posso afirmar com certeza, existe muita encalhada que não se sabe encalhada, achando que um namoro já salva alguém. Encalhar é querer ir além em qualquer sentido e não ter companhia.

Enfim, volto a dizer: a bonitona encalhada, infelizmente, sou eu. Muito prazer!

5 comentários:

Catiluva disse...

Eu, encalhada, me assumo! Achei a sua teoria de uma lógica perfeita! Assino embaixo. Nem preciso de repetir que sou sua fã de carteirinha...

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk... AMEI!
Vale lembrar (até onde sei) que além de tudo o Júlio (primo?) ainda não nasceu... rsrsrsrsrs
BEIJOS, Ana.

Anônimo disse...

Eu completaria um pouco diferente

- Ah, depois de Julio, o instrutor da academia.

fantástica@hotmail.com disse...

Oi Bonitona encalhada! Achei legal esta teoria do encalhamento. Eu também não me sinto encalhada de forma alguma e nem amarrada pela cintura. Disseram que já fui garota fantástica, já namorei, novei, casei, me separei, tenho alguns pretendentes, tenho uma linda filha de 14 anos, que ainda nem sabe o significado desta palavra, porque ensinei a ela a minha teoria. Esta minha teoria é a seguinte: quando se sentir encalhada, corre para o banheiro, porque com certeza é resto, cocô, etc., coisa boa não encalha, não empata o caminho de ninguém, é bem resolvido, carinhoso, gentil, geralmente bonito, não dá barriga abdominal, é decidido, é humano, sempre sabe o que quer e por sempre acreditar na beleza de seus sonhos, sempre corre atrás deles.
Beijos. picassia@hotmail.com

Cristiane disse...

Olá Bonitona
Eu vinha lendo o seu blog.
Comecei estes dias, então decidi começar do começo...rs
Achava que vc tinha se ajeitado por estes dias e já estava pra casar, mas na verdade sua teoria sobre encalhada é bem mais profunda.
E eu, infelizmente sou uma bonitona encalhada tb.
Fiz 5 anos de namoro ontem, mas finalmente consegui marcar meu casamento.
Então posso dizer que vamos desencalhar...uhuuuu!!! rs