quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Outras dicas para sobreviver às vacas magras

Meninas,

sei que vai parecer bem feio, mas pensei em outras dicas para sobreviver nos tempos de vacas magras (e me refiro ao pouco dinheiro, e não aquelas mulheres maravilhosas, magras e impossíveis, que nos deixam até com uma pitada - grande - de inveja). Vamos lá:
1) Todas sabemos que matricular-se em uma academia exige um investimento financeiro (mensalidade, matrícula, roupinhas) e que, em momentos de crise, tal investimento pode estar muito além das nossas posses. Por isso, sugiro que procurem academias (próximas à casa de vocês, mas se não forem próximas, ok também, já que a caminhada queima calorias) que ofereçam aulas experimentais. Assim, você liga e faz uma aulinha aqui, outra acolá e consegue se manter em forma por pelo menos dois meses. Juro.
As melhores são as que tem muitas aulas: um dia você experimenta o step, no outro experimenta o spinning, no outro experimenta o jump e por ai vai...
Uma academia perto da minha casa oferece uma semana de malhação experimental. Gente, olha que sucesso! Você vai lá, se mata de malhar uma semana, e vai fazer a experimentação em outras, afinal, nós, bonitonas encalhadas somos exigentes, temos que conhecer a fundo os métodos de malahação e tudo mais.
2) Outra dica muito bacana para os dias de pobreza, mas sem perder a pose são as lojas de maquiagem. Tem um aniversário pra ir e não quer pagar salão? Entre numa loja de maquiagem (não vou citar nomes, mas são aquelas que têm em todos os shoppings e todo mundo conhece) e mostre interesse como se fosse MESMO comprar tudo. As lojas de hoje costumam ter até as cadeiras profissionais e um mundo de produtos a serem experimentados.
Se você tem noção de maquiagem, peça pra vendedora te ajudar: primeiro um corretivo, base, blush, batom, gloss...deixe ela se empolgar, achando que você vai levar tudo. Se, no final, ficar bom, compre um gloss, ou uma sombra (o item mais barato disponível). Se ficar feio, agradeça e vá embora.
O maior risco é cair nas mãos de uma vendedora baranga (que vai querer que você passe uma sombra azul e um batom coral), mas ai você sai da loja e lava tudo. Aliás, outro risco é ela maquiar só metade do seu rosto, só demonstrando mesmo (caso em que você terá que ser minimamente sincera e dizer: moça, não tem condição de sair na rua assim, você vai ter que fazer o outro lado também!).
3) Outra opção de pobreza com glamour é deixar o orgulho de lado e combinar um intercâmbio de roupas com as amigas. Empreste suas roupas que fazem o maior sucesso e pegue emprestada as das amigas, o que ajuda demais a renovar o visual sem desembolsar nada. Ótimo, principalmente para roupas de festa, que costumam ser caras e não podemos repetir muito.
4) Uma dica final, destinada somente àquelas que já estão habituadas à pobreza é sobre como proceder no ônibus. Obviamente, nos horários de pico, não há lugares para todos se sentarem. Por isso, você tem que ser esperta.
Minha estratégia, em síntese, é a seguinte:
- Entro com alguma coisa na mão (um livro, um caderno). Mesmo que caiba na bolsa, o ideal é você estar (e demonstrar) todo o seu desconforto com o objeto. Alguém (que já está sentado) irá se oferecer para segurar para você e pronto! Isso é praticamente marcar reserva do lugar dele, porque, quando essa pessoa descer, você já estará íntimo, próximo e terá seu lugar. O risco é a pessoa descer depois de você, ou seja, não custa nada sondar, com delicadeza e sensibilidade, em qual ponto a pessoa pretende desembarcar para, se for o caso, trocar de "carregador".
- Outra técnica bastante eficiente é reparar a linguagem corporal dos passageiros. Mulheres são alvo mais fácil, porque, quando o ponto de desembarque se aproxima, elas fecham as revistas, ajeitam a bolsae ficam, geralmente, semi-levantadas, o que evidencia a intenção de desembarque. Não seja boba, fique a postos.
- Outra dica interessante é, quando você perceber que alguém está tentando levantar, pare na "saída" do banco, dificultando a passagem, de modo que a pessoa só consiga sair se deixar você entrar. Sei que essa dica é complexa, necessitaria de pelo menos uma ilustração, mas exercitem a imaginação.
Por hoje era só. Assim que for aprimorando meu estagiarian way of life, conto pra vocês. Beijinhos!

2 comentários:

Ma disse...

hahaha adoro as dicas de economia. Pior no ônibus é quando eu acho que a pessoa vai descer e eu vou poder sentar mas na verdade ela tava só se ajeitando no banco ¬¬

Eu já aprendi também qual porta do ônibus tem menos gente, em qual parte do õnibus as pessoas descem mais rápido. Altas dicas haha



adooro teu blog ;) Bjo!

Anônimo disse...

Laura, você é mesmo genial! Nem sei como sua cabecinha consegue bolar tanta coisa divertida e interessante, diàriamente.
Continue nos presenteando com os seus blogs. Você vai longe, garota.
Beijos