sexta-feira, 26 de junho de 2009

Sobre responsabilidade com o coração dos outros

Às vezes a gente acorda pensando:

- Como é que eu fui me deixar gostar tanto assim de alguém? Alguém que nunca me prometeu nada, que nunca me quis direito. De graça. Como é que eu simplesmente vi, conversei, me encantei? Como é que eu, tão esperta pra umas coisas, me meti nessa fria que não tem saída?

Às vezes a paixão é assim: unilateral e injusta. Avassaladora como a maioria das paixões. Marcante também.

Duro é ficarmos inundadas de um sentimento que a outra pessoa nem supõe. É ter certeza absoluta que a pessoa não desconfia do que você sente e, avaliando racionalmente as circunstâncias, chegar a conclusão de que seja melhor nunca contar. E nunca tentar.

Pode acontecer de uma farra era pra ser uma aventura de uma noite, acabar sendo isso mesmo - mas só para uma das partes. A outra, sem que ninguém nunca saiba, fica dilacerada. Leva anos pra entender que aquele dia, único, nunca vai ser a história de amor da minha vida, daquelas que se estendem, mas pode ser a história de amor da vida, daquela que sempre vai estar no lugar especial do coração.

Nem todos os grandes amores são pra sempre. O que não significa que não tenham sido grandes, ou que não tenham sido amores.

Lembrei-me então dessa música, que é a versão feminina e romântica do lema do pequeno princípe: tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. É um termo de responsabilidade, que todo bonitão incauto deveria ler, e conhecer. Um termo de responsabilidade, uma advertência.

Eu já ouvi essa música mais de mil vezes. O jeito de cantar, as palavras ditas com tanta precisão...era como se eu mesma estivesse me ouvindo, na voz de outra pessoa.

E hoje eu acordei pensando nela, como se fosse uma advertência que devêssemos mandar a todos aqueles por quem nos apaixonamos, para que sejam responsáveis (eternamente enquanto dure, como sugere Vinicius) por aquelas que cativam.

Pra quem não fala inglês, achei uma tradução na internet, que dá uma ideia do que fala a música, apesar de eu acreditar que cada coisa nasce em sua língua e que tradução, de verdade, é impossível.

Near You Always (tradução)
Jewel
Por favor, não diga "eu te amo"

Essas palavras me tocam muito profundamente

E elas fazem

meu âmago tremer

Não pense que você sabe o efeito

que produz em mim

E, por favor, não olhe pra mim assim

Isso só me faz

querer fazer você ficar perto de mim sempre

E, por favor, não me beije com tanta suavidade

Isso me faz seguir mil beijos

E, por favor, não me toque desse jeito

Faz com que todo outro abraço pareça pálido e sem brilho

E, por favor, não se aproxime tanto

Isso só me faz

querer fazer você ficar perto de mim sempre

E, por favor, não me traga flores

Elas só cochichariam as coisas doces que você diria

E não tente me entender

Suas mãos já me entendem muito, de qualquer jeito

Isso só me faz querer fazer

você ficar perto de mim sempre

E quando você olhar nos meus olhos

Por favor saiba que meu coração está nas suas mãos

Não é nada que eu compreenda

Mas, quando estou nos seus braços, você tem total poder sobre mim

E seja gentil, por favor

Pois suas mãos estão nos meus cabelos, mas

Meu coração está nos seus dentes e isso

Me faz querer fazer você ficar perto de mim sempre

Suas mãos estão nos meus cabelos, mas

Meu coração está nos seus dentes e isso

Me faz querer fazer você ficar perto de mim sempre

Quero estar perto de você sempre

17 comentários:

Érica disse...

oi bonitona...
apssando só pra registrar presença, nem tive tempo de ler, to na correria aki no trabalho...
bjoooos...
prometo que volto com mais tempo pra ler....beijos...te aguardo no meu!

Carlinda Hellen disse...

"Como é que eu simplesmente vi, conversei, me encantei? Como é que eu, tão esperta pra umas coisas, me meti nessa fria que não tem saída?"

Laura,é isso q tento entender.Não quero me apaixonar e sofrer,tenho muito.Converso sobre isso com amiga psicologa,mas ainda não consigo para de pensar assim.Quanto li este post paracia q vc estava falando pra mim.Sei q é estranho falar sobre isso aki no blog,mas queria falar com alguém.

Até mais!

meuladocontido disse...

Amei esse postt!!
Linda tradução e lindas palavras também.
Realmente não é porque não é pra sempre que não é amor.
Sei bem como é isso.

Beijos e bom fim de semana

Deise Laura disse...

Cara Laura, escreve com maestria...
Não sei se o momento que vivo, ou se toda uma vida... Mas conseguiu traduzir o que venho tentando a alguns dias... Parabéns!!

Walkyria Suleiman disse...

Hum...não sei se gosto disso de ser responsável, nem sei se quero alguém responsável por mim. Herman Hesse disse: "o verdadeiro amor, não exige nem implora". Laurinha, tô mais nesse caminho, sei lá, mil coisas....

Gaucho´s disse...

Parabéns pelo blog... Lindo post. Voltarei sempre e sou mais um seguidor teu. Um beijo.

Gaucho´s disse...

E me desculpe, por não ser uma "bonitona encalhada", mas teu blog é sincero e expressa muitos sentimentos que não são somente das bonitas e sim dos encalhados...rsrsrs....

irisramadas disse...

entendo completamente... e tb acho que o BONITAO devia assinar um contrato de responsabilidade por aquilo que cativou (leia-se: eu!).

Anônimo disse...

Cheguei ao seu blog por acaso e tenho acompanhado seus textos. Sem dúvidas, para mim, esse foi o mais intenso e real... Traduziu perfeitamente em palavras um sentimento que tenho, infelizmente, carregado há tempos... Foi tão forte e verdadeiro que não tive coragem de seguir a leitura na primeira vez... Só alguém que já passou por isso, ou que tenha uma grande sensibilidade, poderia ter expresso esse sentimento assim... Obrigada por compartilhar! Beijos!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amiga! Olha, na minha opinião, casos como esses podem ser resolvidos, simplesmente com a abertura do jogo, ou seja, a parte atingida pelo cupido, deve contar toda a verdade para a outra, esperar e, posteriormente, analisar cuidadosamente a situação, e partir para a solução, quer positiva ou negativa. Assim, como nada é para sempre, um dia a dor passará.

Perdoe-me pelas baboseiras. É que estive passando, avistei teu espaço, invadi, gostei e não resisti.

Beijos,

Furtado.

pinkvenus disse...

Oiii Laura,
eu amei o texto...

Se eu tivesse coragem, juro que encaminharia para uma pessoa.....

Beijos

*****Aninha***** disse...

Eii Laura!!!!!
toh adorando ler todas as novidades do seu blog! como comentei no post do "if only", eu andei sumida, mas agora voltei pra ler tudinho!!! =)
eu toh lendo um livro e lembrei de vc!!! se chama "chasing harry winston" e eh da mesma autora de "o diabo veste prada"... eu toh lendo em ingles (comprei por aqui nos EUA) entaum naum sei o titulo em portugues...
mas eh a historia de 3 amigas que moram em nova iorque e cada uma tem seu estilo de levar a vida e os relacionamentos...
eu ainda naum acabei de ler, mas toh adorando tbm pq uma das personagens principais eh brasileira... (claro que meio estereotipada, mas fazer o que neh?)
Pelo o que vejo por aqui acho que vc tbm gosta desse estilo de livro e filme tipo "sex and the city", "lipstick jungle", e outros que contam a vida cotidiana das mulheres... talvez o final naum seja taum bom quanto o comeco, mas eu toh adorando o estilo de escrever da autora! quando eu terminar te digo se recomendo ou naum ele para uma leitura...

Grande beijoo!!!

Ana Carolina disse...

Olá!
Adorei seu Blog!
Essa música é mesmo muito bonita!

Deixei dois selinho pra vc no meu blog!
É só salvar e seguir as regras!

Beijos!

Cassi disse...

Oi!!!
Tambem adorei o texto, é bem assim q acordei outro dia, mas não acredito muito em ser responsável por quem cativo, ou quem me cativa, mas deveriamos ter um sensor ou algo parecido p/ avisar p/ não se envolver quando não vai dar certo rsrs ... meio utópico mas ia ser mais fácil.
Bjkas

Isoka disse...

Pelo visto eu não sou a única a ter medo de se apaixonar, de se entregar por completo e de repente a outra parte nem se importar em brincar com meus sentimentos e jogar fora quando bem entender.
Eu adoraria se as pessoas com quem me relaciono tivessem a mesma preocupação que eu em não iludir.
Beijão bonitona.

Chay Fernandes disse...

Nme me fale! Nesse dia estava conversando com um amigo justamente sobe isso...

Lua disse...

Não te conheço e caí totalmente por acaso aqui, nesse texto.
Chorei lendo.
Passei por ilusões praticamente durante toda a minha vida amorosa. E acabo de sair de mais um namoro que se enquadra nisso. O namoro acabou, meses passaram, continuo convivendo com ele no mesmo ambiente, e depois de saber que ele já esteve com outras, ele me procura, mas não pra voltar a namorar. Claramente, pra me usar. E eu ainda o amo muito.
Parabéns pelo post, sim me levou às lágrimas, sim, é muito real e certeiro. Talvez um dia eu ainda o utilize enviando...