quinta-feira, 20 de maio de 2010

Quanto mais eu rezo - parte 2

Eu já ouvi casos (e já estive presente) em algumas cerimônias em que o celebrante, tão acostumado a fazer cerimônias, parece estar ligado no piloto automático.

Já vi padre trocando nome dos noivos (chamando a noiva Renata de Márcia e o Márcio de Renato...) e falando que o pai da noiva "não estava mais entre nós",  quando o dito cujo estava no primeiro banco, enquanto quem "não estava mais entre nós" era o pai do noivo...

Enfim, já vi de tudo. Mas, daí a substituir um celebrante humano por um robô, vai uma grande diferença...ou não?





Duvida?

2 comentários:

Lise Helena disse...

E tinha que ser coisa de japonês. Quem mais né?

Josie Mantilla disse...

Ei Querida,ameiiis eu blog.super lindo.

Já estou te seguindo.
E te convido para visitar meus blogs.

www.casarebom.blogspot.com

www.glacecompimenta.blogspot.com

Beijão.